BANCOS EM PLENA CRISE ?

Olá, caro leito !
Antes que o Coronavírus chegasse ao Brasil e infectasse a população, ele trazia preocupações referentes às aplicações em todo mercado da Bolsa de Valores
e outros investimentos claro. Com o passar do tempo e a evolução do vírus, além de ficar atento com sua saúde, o cidadão brasileiro se viu na necessidade
de ter mais cuidado com a economia diária. Isso deve-se porque, alguma das principais medidas que foram tomadas para que o coronavírus não se alastre
ainda mais, é que as pessoas passem a ficar em suas residências, em um período de quarentena, e essa ação vem a ter uma consequência direta na economia
nacional. Várias empresas estão de portas fechadas, evitando aglomerações e com isso, os funcionários não vão ao trabalho.

Toda a situação vem a se complicar ainda mais para os empresários pequenos, autônomos e também para aqueles que estão na sua informalidade. Se deixar de
trabalhar, fica sem receber salário. E como fazer isso nesses casos ?Por esse motivo, a Febraban veio a informar na última segunda-feira, que seus principais bancos associados
vão acatar solicitações de prorrogação ou seja estender prazo para o pagamentod e vencimento de dívidas
por até 60 dias. Essa decisão vai auxiliar pessoas físicas e também micro e aquelas pequenas empresas a
não ficarem de certa forma inadimplentes, neste tempo de crise causada por tal pandemia.

Todos os bancos que adotarão a solicitação são eles Banco do Brasil, Banco Bradesco, Caixa Econômica Federal,
Itaú Unibanco e o banco Santander. Para que então o correntista venha a ter acesso a seu atendimento, será
necessário se dirigir até uma agência e então explicar os motivos que fizeram com que o coronavírus atrapalhasse
suas finanças, e então deixando impossibilitado de acertar suas dívidas até a data de vencimento.Vale ainda
lembrar que os bancos vão analisar a situação de cada cliente antes que então conceda ou não a prorrogação.

“A Federação Brasileira de Bancos e seus todos associados, sensibilizados ao momento de preocupação de todos
os cidadãos brasileiros com a doenção que foi provocada pelo novo coronavírus, vêm discutindo então propostas
para amenizar os efeitos gerados negativamente dessa pandemia no emprego e na renda.Entenda que se trata de um
choque, mas de natureza essencialmente transitória”, afirmou então a Febraban em comunicado.

Contudo, o CMN (Conselho Monetário Nacional) também aprovou na última segunda, medidas que irão facilitar
todas a negociações de dívidas, já que inadimplência pode ser um dos desdobramentos da ecônomia da crise
que foi causada pelo coronavírus. Sendo então, a decisão permitirá que os bancos facilitem o acordo que
renegocie as dívidas de seus clientes, para pessoas físicas e também para as jurídicas, tudo isso para
que o capital não pare sua circulação no mercado, aumentando então o poder de consumo e que reaqueça a
economia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *